quinta-feira, 31 de março de 2016

Dispensar o carro e adotar a bicicleta poderia poupar 24 trilhões de dólares às economias globais até 2050

Reprodução

Em novembro de 2015, o ITDP (Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento, em inglês), em parceria com a Davis University of California, publicou o estudo "A Global High Shift: Cycling Scenario", que destacou os impactos globais que resultariam se mais pessoas deixassem seus carros para se deslocarem de bicicleta.

Atualmente, cerca de 6% das pessoas, em média, utilizam a magrela como transporte no mundo. Quase 35% dos trajetos têm menos de 5km de distância, e outros 50% têm menos de 10 km, nos países estudados. Os pesquisadores avaliaram o que aconteceria se 23% de todos os deslocamentos no mundo fossem feitos em bicicletas, até 2050.

Com essa mudança e com a combinação certa de investimentos e políticas públicas, cerca de U$24 trilhões de dólares iriam ser economizados cumulativamente, entre 2015 e 2050, além de reduzir as emissões de gás carbônico (CO2) em cerca de 11% ou aproximadamente 300 megatoneladas.

Algumas das razões são que haveria menos necessidade de construir vias expressas e que as pessoas gastariam menos para comprar veículos ou em estacionamentos.

"O estudo mostra o impacto profundo que o ciclismo pode ter nos países em desenvolvimento, como a Índia e a China, por exemplo, onde grande parte da infra-estrutura ainda está em vias de serem construídas", afirma Jacob Mason, co-autor do estudo e pesquisador da ITDP. "Construir a cidade para ser amigável aos ciclistas não só tem o potencial de deixar o ar mais limpo, como ainda pode poupar aos governos e pessoas uma quantidade substancial de dinheiro, que pode ser gasto em outros fins. Isso é política urbana inteligente", disse.

Veja o estudo completo aqui.

quarta-feira, 30 de março de 2016

Pizzaria londrina faz entregas a pé e que podem ser acompanhadas em tempo real

Foto: Adweek/Reprodução

Um restaurante de Londres, o Sodo Pizza Café, passou a entregar as redondas nas mãos de corredores, uma vez por mês. A prática foi acolhida pela pizzaria depois de promover uma ação de sucesso, com parceria da agência TBWA Londres, em que os atletas do grupo de corrida local, o Run Dem Crew, levavam os pedidos gratuitamente. E o trajeto podia ser acompanhado através do aplicativo Periscope, que faz transmissões de vídeo em tempo real.

Rapidamente, todas as pizzas do evento foram vendidas, e o valor arrecadado foi doado para uma instituição local.

Deu tão certo que o restaurante incluiu o novo método de entregas que não emite gases poluentes em suas três filiais, uma vez por mês. E esta não é a única prática sustentável do Sodo: suas pizzas são feitas com ingredientes de origem local e fornecidos pelo comércio justo. O slogan do restaurante é "Emissões zero e sabor máximo".

Vejo o vídeo para saber um pouco mais da história, publicado em fevereiro deste ano:


terça-feira, 29 de março de 2016

São Paulo deve ter 1,7 mil km até 2030, prevê plano da Prefeitura

Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Plano da gestão atual é incorporar, até 2030, mais 1,3 mil km de ciclovias à malha viária de São Paulo, segundo informações do Estadão. A intenção é ligar vias mais periféricas ao centro da capital. Atualmente, há 381 km de ciclovias espalhados pelas ruas da cidade. Destes, cerca de 284 km foram entregues pelo prefeito Fernando Haddad.

Algumas das conexões propostas são faixas apenas para bicicletas na avenida Teotônio Vilela (zona sul) e em trechos da Radial Leste, indo do Tatuapé ao Parque Dom Pedro. De acordo com Daniel Guth, ciclista e consultor em mobilidade, esta ligação é fundamental para a segurança de quem anda de bike na região leste e pretende ir à central. "Neste trecho da Radial, a ciclovia existente acaba e o ciclista é jogado para as demais pistas de forma abrupta", disse.

O plano ainda prevê construções de pontes e passagens subterrâneas exclusivas para ciclistas. "Este foi mais um pedido que incorporamos ao plano", afirma o assessor especial da Secretaria Municipal de Transportes, Josias Leche.

Leia a notícia na íntegra neste link.

segunda-feira, 28 de março de 2016

Cinco razões para o prefeito Fernando Haddad fechar o Minhocão para sempre

Foto: GASP/ Reprodução


Há cerca de duas semanas atrás, o prefeito Fernando Haddad disse em uma palestra para universitários que o Minhocão poderia ser fechado por um tempo, de um mês a um ano, para testar o impacto no trânsito. Se foi apenas um comentário ou se há alguma intenção real, não se sabe com certeza. Fato é, não é necessário fazer um teste ou estudo de tráfego para ver que a via poderia ser desativada para sempre, e os efeitos, a curto e a longo prazo, seriam benéficos.

Veja cinco razões que provam que o Minhocão poderia deixar de desistir - e ninguém sentiria falta.

  1. O Elevado é ineficiente: apenas cerca de 70 mil veículos circulam por ele a cada dia
  2. Já existem alternativas de rota: nas últimas décadas, foram construídas vias paralelas para desviar o fluxo de carros que vão do Leste ao Oeste
  3. Região do Campos Elíseos não tem tanto trânsito quanto antigamente: as ruas locais poderiam segurar o trânsito com mínimas alterações
  4. As pessoas tendem a buscar alternativas: estudos mostram que, quando vias são fechadas, as pessoas buscam outro caminho ou outro modo de transporte, por exemplo
  5. Nova via, mais carros vão pra rua:  ao se criar uma via, possibilita que carros parados comecem a circular, e o trânsito aumente

Veja a coluna completa aqui.

quinta-feira, 24 de março de 2016

Projeto "Bike da Firma" troca vale-transporte por bicicleta

Foto: Divulgação

Para incentivar os trabalhadores a usarem mais a bicicleta, a agência Señores decidiu disponibilizar bicicletas elétricas para eles usarem no dia a dia, em vez de pagar vale-transporte ou uma vaga na garagem.

Essa iniciativa expandiu, resultando no projeto Bike da Firma: um sistema de compartilhamento de bicicletas elétricas e dobráveis entre grupos de pessoas de empresas parceiras. A plataforma entrou no ar em janeiro deste ano.

Além disso, o aplicativo, desenvolvido para iPhones, é um uma espécie de game. As bicicletas são equipadas com um sensor que contabiliza os dados em tempo real da quantidade de pedaladas que uma pessoa realizou. Os colaboradores são premiados de acordo com a distância percorrida, da equipe ou individual, podendo ganhar, por exemplo, uma "choppada" ou cupons para serem trocados por livros.

No site do projeto, há um ranking que mostra todos os quilômetros pedalados, quantidade de CO2 que deixaram de ser emitidas, calorias queimadas e gasolina poupada. Ainda há um espaço de interação, em que os ciclistas podem se desafiar e compartilhar suas conquistas.

Para o Bike da Firma ser implementado em outras empresas, é preciso apenas pagar uma taxa mensal. A tecnologia e a estrutura são fornecidas pela Señores.



quarta-feira, 23 de março de 2016

Moradores das principais metrópoles brasileiras gostariam de morar em cidades compactas, aponta pesquisa

Em uma pesquisa realizada pela Liberty Seguros em parceria com o Instituto Teor Marketing, foi pedido a mais de mil pessoas que imaginassem a cidade ideal. Os entrevistados têm, em média, 29,3 anos e são residentes em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Salvador, Curitiba e Belo Horizonte. Destes, 60% são homens e 40% são mulheres.

Para 82% deles, a cidade ideal é aquela que é compacta, em que moradia, trabalho e compras estão, no máximo, a 20 minutos a pé.

Na cidade compacta, a dependência do carro é menor, e os bairros oferecem mais serviços locais. Neste aspecto, o Rio de Janeiro é apontado como o melhor exemplo, já que apresenta muitas das características de um lugar compacto, colaborativo e sustentável.

O estudo "Pesquisa de Mobilidade Urbana 2015" foi divulgado no final do ano passado, sendo o segundo ano consecutivo de realização da pesquisa. O foco é a mobilidade urbana e suas complexidades no dia a dia de quem mora nas principais metrópoles brasileiras.

Veja o infográfico com mais dados da pesquisa:




terça-feira, 22 de março de 2016

Minhocão poderia ser fechado por até um ano, sugere Haddad em evento

Minhocão fechado: pessoas aproveitam para caminhar e andar de bicicleta aos finais de semana (Foto: minhocao.org)

Na última quarta-feira, 16, o prefeito Fernando Haddad disse que o elevado Costa Silva, conhecido como Minhocão, poderia ser fechado para a passagem de carros durante os dias da semana, como teste por um mês ou até um ano. A proposta seria medir o impacto no trânsito na região, sendo que a avaliação deste teste poderia influenciar na"decisão mais radical" sobre o futuro da via, de o demolir ou não, de acordo com informações do Estadão Conteúdo.

A desativação do Minhocão está prevista no Plano Diretor, aprovado em 2014, mas ainda não está definido se será demolido ou convertido em parque.

Durante a palestra, Haddad disse que a falta de abertura para novas medidas e para testar as iniciativas antes de implementar é prejudicial à cidade.

Atualmente, o tráfego fica impedido no Minhocão a partir das 21h30 às 6h30 durante a semana. No sábado e domingo, a via fica fechada para a circulação de automóveis a partir das 15h.

segunda-feira, 21 de março de 2016

Estrada M'Boi mirim é avaliada como a pior para pedestres e transporte coletivo, diz pesquisa

Buracos na Estrada M'Boi Mirim (Foto:Letícia Macedo/ G1)

De acordo com um estudo divulgado pela Folha de S. Paulo, a estrada do M'Boi Mirim foi avaliada como a pior via para a locomoção de pedestres e ônibus e a penúltima para motos.

A pesquisa "Avaliando a Qualidade da Mobilidade Urbana: Aplicação de Metodologia Experimental" foi feita pela ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos) e levou em consideração trechos de 1 km de cinco vias da cidade de São Paulo: ruas da Consolação e Teodoro Sampaio, as avenidas Santo Amaro e Sumaré e a estrada do M'Boi Mirim.

Foram avaliadas as condições de deslocamento para pedestres, ciclistas, motoclistas e motoristas de automóveis e ônibus.

Veja como se saíram as outras vias aqui, na reportagem completa.

A Semana Santa e o impeachment

Foto: Jorge Araújo/Folhapress

Na Semana Santa, que começa nesta segunda-feira, 21, reflexões que rodeiam a tradicional festividade cristã muito têm ver com os pedidos de impeachment da presidente Dilma. Em uma conhecida passagem do Novo Testamento,  Jesus diz: "quem dentre vós não tiver pecado, seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra". No cenário político atual, todos os lados parecem ter pedras a atirar. Mas, será que não lhe cabem, também, em si uma reflexão?

Leia aqui a coluna "Quem não pecou, que atire a primeira pedra do impeachment" completa.

sexta-feira, 18 de março de 2016

Maioria dos envolvidos em acidentes fatais já tinham sido multados, diz pesquisa


Foto: ClickGuarulhos

Levantamento da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) apontou que 85% dos veículos envolvidos em acidentes com mortes já tinham sido multados anteriormente. Destas multas, 67% foram por excesso de velocidade e por desrespeito ao sinal vermelho, de acordo com a pesquisa "Investigação de Acidente de Trânsito (IAT)".

Para o estudo, foram consideradas informações de 194 Relatórios de Investigações Fatais (RIFs), gerados entre janeiro de 2014 e outubro de 2015. Foram levantados dados de 280 veículos, entre carros, ônibus, motos e caminhões, em acidentes que resultaram em pelo menos uma morte.

Outro ponto divulgado pela pesquisa foi que em 98% dos acidentes fatais a causa foi considerada de fatores humanos, e, não, por alguma falha do veículo, via ou sinalização.

Os motoristas do sexo masculino, entre 19 e 30 anos, representam quase a totalidade dos envolvidos em acidentes com mortes. A maioria das vítimas é composta por homens pedestres, com idades entre 40 e 60 anos.

Cerca de 42% das colisões fatais ocorreram às sextas-feiras e aos sábados. Entretanto, os atropelamentos foram regulares todos os dias da semana, com exceção das sextas, concentrando nos horários de 6h e 9h e 19h e 23h.

Veja a pesquisa inteira neste link.

quinta-feira, 17 de março de 2016

Trem mais rápido e que "voa" é desenvolvido por pesquisadores da UFRJ

Maglev de Xangai, na China
Pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro aprimoraram a tecnologia do Maglev, um trem movido a levitação magnética, que faz com que ele flutue. Funciona assim: o veículo é propulsionado pelas forças de atração e repulsão do magnetismo por meio de supercondutores, fazendo com que não encoste nos trilhos.

Isto faz com que atinja maior velocidade, além de economizar energia. O trem está em teste no campus da universidade. Países como Alemanha, China e Japão já têm trens magnéticos. Porém, a tecnologia brasileira é mais barata e estável.

Saiba mais neste link.

Holanda tem ciclovia que gera energia elétrica


Em novembro de 2014, a Holanda inaugurou a primeira ciclovia solar do mundo. O projeto inovador usa o solo para captar o calor do sol e convertê-lo em energia elétrica, o qual eventualmente, pode também ser implantado nas estradas. De acordo com a AFP, a SolaRoad, como foi nominada, é feita de módulos de concreto de 2,5m por 3,5m, que são embutidos com painéis solares cobertos de vidro temperado. Com a intenção de evitar acidentes, foi aplicada no vidro uma superfície antiderrapante. 


As células solares atualmente conduzem a eletricidade que geram para a rede elétrica, mas, no futuro, o plano é usar esta energia para abastecer luzes de rua.

Segundo, Sten de Wit, físico que colaborou com o projeto, as bicicletas elétricas e carros serão capazes de reabastecer a energia por meio do contato direto com o concreto. 

Ele ainda disse que a SolaRoad será testada durante dois anos, em um trajeto que transporta cerca de 2.000 ciclistas por dia. Nos próximos cinco anos, o objetivo é tornar a ciclovia comercialmente viável para serem implantadas na estradas holandesas, enquanto o número de carros e bicicletas elétricas cresce.

Veja mais no vídeo.

quarta-feira, 16 de março de 2016

Saiba quanta poluição seria evitada se os paulistanos ficassem um dia sem carro


Todo dia 22 de setembro, acontece o Dia Mundial Sem Carro, que incentiva as pessoas a deixarem seus automóveis nas garagens e a andarem a pé ou a utilizarem transportes coletivos. A cidade de São Paulo tem cerca de 9 milhões de carros circulando em suas ruas, sendo a maior frota do país. Caso todos os paulistanos aderissem à iniciativa, cerca de de 500 toneladas de monóxido de carbono deixariam de ser expelidas.



Prefeitura de São Paulo deveria emitir ainda mais multas

Muitos motoristas criticaram a insurgência da "indústria da multa", quando a prefeitura paulistana aumentou a emissão de multas em 2015 (veja gráfico comparativo abaixo). Porém, no dia a dia, é comum ver carros invadindo faixas de ônibus, motos "costurando" entre os outros automóveis, e pedestres quase sendo atropelados.

Será que não é preciso aplicar mais multas, já que as leis básicas de trânsito continuam a ser desrespeitadas?

Clique aqui para ler o artigo completo.





terça-feira, 15 de março de 2016

Minhocão: é necessário consenso para as medidas de fechamento

Crédito: Nelson Antoine/Fotoarena/Folhapress
Enquanto o prefeito Fernando Haddad sanciona lei que dá o nome de parque para o Minhocão, outros defendem a derrubada da via. Há ainda aqueles que querem que o viaduto continue a funcionar, com os carros circulando.

Leia a coluna completa aqui com mais informações. Além disso, confira comentários sobre o discurso da Marta Suplicy do último sábado (12), a poda suspeita de uma árvore centenária em Higienópolis e o Eletrolão.


segunda-feira, 14 de março de 2016

Ônibus que não poluem chegam a São Paulo


Ônibus se movimenta através da tecnologia da propulsão a hidrogênio 
Em 10 de março deste ano, dois ônibus que utilizam o gás hidrogênio como combustível entraram em circulação no estado de São Paulo, no corredor São Mateus-Jabaquara. O trajeto liga o bairro de São Mateus (zona leste de SP) ao Jabaquara (zona sul), passando por Mauá, Santo André, São Bernardo do Campo e Diadema. Frutos de uma tecnologia brasileira, os ônibus não emitem gases poluentes e apenas liberam vapor de água do escapamento, sendo mais amigáveis ao ambiente.

O projeto foi feito em uma parceria com o PNUD, o Ministério de Minas e Energia, a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU), e financiado pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e pelo Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF).


Clique aqui para saber mais

Quem prefere a bike a outros transportes pode ser seis vezes mais saudável


Um estudo da Universidade Brunel, de Londres, na Inglaterra, mostrou que as pessoas que se deslocam de bicicleta têm seis vezes menos problemas de saúde do que os que utilizam outros meios de transporte.

Os ciclistas entrevistados ultrapassam em quatro vezes a média de 150 minutos de exercício semanal recomendada pela ONU (Organização das Nações Unidas). O autor do estudo, Glenn Stewart, dá um exemplo: se as pessoas pedalarem até o trabalho por 15 minutos para ir e voltar, por cinco dias por semana, já é suficiente para ser mais saudável.



Leia mais neste link.


Muitos caciques e poucos índios




Os próximos dias devem marcar um racha no PSDB semelhante ao que fez com que o PT de São Paulo tivesse dois candidatos na eleição municipal de outubro (Marta Suplicy, fundadora e decana do partido; e Fernando Haddad, atual prefeito). Com isso, também os tucanos devem ir às urnas com dois candidatos. Clique aqui para ler artigo completo.


Programa de "Manejo Arbóreo" da Prefeitura mata mais uma árvore centenária e saudável

Foto: Ubiratan Muarrek 

Há mais de um ano a Subprefeitura da Sé queria derrubar uma figueira centenária na esquina das ruas Maranhão e Bahia, em Higienópolis. Funcionários municipais diziam que a árvore estava doente. Especialistas negavam. Um grupo de moradores, com apoio do vereador Gilberto Natalini (PV) e da ONG Defenda São Paulo, conseguiu evitar o corte.

Quarta-feira, sem aviso, a árvore foi serrada. E quem passou por lá viu que o tronco e os galhos estavam saudáveis. Uma grande figueira foi assassinada como parte de um programa que decepa milhares de árvores, perversamente denominado "Manejo Arbóreo". Recém-convertido à sustentabilidade, Haddad tem nas subprefeituras um time que se dedica ferozmente a reduzir a cobertura verde da cidade. Clique aqui para ler a coluna completa.

Capital da Noruega vai proibir circulação de carros a partir de 2019



Oslo, a capital da Noruega, vai proibir totalmente o trânsito de carros na cidade a partir de 2019. Confira aqui.

Financiamento para compra de carros foi uma esperteza, não uma burrice




Depois das revelações da Operação Zelotes, da Polícia Federal, fica mais fácil entender que não foi por burrice que o governo federal manteve financiamentos para carros mesmo depois que a crise econômica já produzia sinais, como a inadimplência dos compradores. O mais provável, como se viu, é que tenha sido esperteza mesmo... Leia artigo de Leão Serva na Folha de S.Paulo.